Ignorar ligação
Ignorar ligação
Ignorar ligação
Mercados financeiros
Análise mensal - agosto 2021
  • Ações
  • Obrigações
  • Matérias-primas e Metais Preciosos

A escassez de semicondutores mantém-se uma restrição particularmente ativa, afetando visivelmente a indústria automóvel, que perspetiva quedas e atrasos na produção nos próximos meses.

Durante o mês de agosto, a conjuntura económica e os mercados financeiros mantiveram-se condicionados pela Covid-19, com o crescimento da variante delta a gerar novas vagas da pandemia, atrasando uma normalização da atividade económica. Em todo o caso, com progressos na vacinação e fortes estímulos de política, os impactos económicos são significativamente menores do que os sentidos nas vagas iniciais da pandemia. Observa-se, na generalidade das economias, uma alteração nos padrões de consumo face a 2020, com um aumento da despesa em serviços e um recuo ou desaceleração nos bens duradouros.

Neste período, e para além da variante delta, receios de desaceleração da atividade foram também alimentados por condicionantes à produção, incluindo a escassez de matérias-primas, consumos intermédios e mão-de-obra. A escassez de semicondutores mantém-se uma restrição particularmente ativa, afetando visivelmente a indústria automóvel, que perspetiva quedas e atrasos na produção nos próximos meses. Ainda assim, n o 3.º trimestre esperam-se crescimentos do PIB resilientes, de 5-6% QoQ anualizado nos EUA (6,6% no 2º trimestre) e 6,3% YoY na China (7,9% no 2º trimestre). A Zona Euro deverá crescer em torno de 3% QoQ (2% no 2º trimestre).

Ler análise agosto 2021 de: